Os Cinco maiores escândalos em segurança de Alimentos.

Os Cinco maiores escândalos em segurança de Alimentos.

No Último Post da temporada, vamos lembrar dos cincos maiores problemas em recall e segurança de alimentos do Mundo.

Saber o que você consome e ter a segurança do que está sendo enviado até os seus clientes, é uma tarefa diária, criar mecanismos para a qualidade do alimento industrializado, processado ou vendido in-natura, faz parte de um item básico na segurança de alimentos, e na segurança da sua marca!

Para sabermos mais, e aprender um pouco sobre os riscos, nossa equipe listou os cinco maiores casos de erros dentro dos procedimentos de segurança alimentar, que levou a contaminações e até mortes pelo consumo dos produtos.

5)      Dietilenoglicol em vinho: em 1985, com o intuito de lucrar ainda mais com a popularidade de seus vinhos mais doces e de colheita tardia, um pequeno número de vinícolas austríacas decidiu adulterar intencionalmente o estoque com dietilenoglicol – substância tóxica usada como anticongelante, por exemplo, para vidros de carro e avião, mas que confere um sabor mais doce e enriquecido no vinho. O escândalo foi descoberto na Alemanha, onde os vinhos locais eram ilegalmente misturados aos vinhos austríacos, espalhando a contaminação. Apesar de não ter sido registrada nenhuma morte direta relacionada a este incidente, o escândalo foi espalhado pelo mundo e os vinhos adulterados foram retirados imediatamente das prateleiras. Multas pesadas e prisões ocorreram na Alemanha e na Áustria, e os volumes de vinho austríaco exportado não conseguiram retornar aos índices pré-escândalo até 2001, mais de 15 anos após o evento.

4)      Manteiga de amendoim mortal: Um surto de salmonelose entre 2008 e 2009 encerrou de vez as atividades da empresa Peanut Corporation of America, que já existia no mercado há 33 anos. A contaminação levou a um dos maiores recalls dos EUA, tendo causado a morte de 9 pessoas e pelo menos outras 691 pessoas foram afetadas – a maioria crianças – em 46 estados norte-americanos. A investigação do caso provou que a empresa sabia que a manteiga de amendoim da unidade da Georgia estava contaminada com Salmonella, e mesmo assim liberou a venda para o mercado.  Entre 2007 e 2008, isto ocorreu pelo menos uma dúzia de vezes. A investigação também revelou que a planta do Texas não tinha licença para fabricação de alimentos e nem tinha sido inspecionada. E a Salmonella não foi a única contaminação encontrada. Um carregamento anterior de amendoim para o Canadá não teve autorização para retornar aos EUA depois que foram detectadas sujidades, matérias pútridas e decompostas no produto, além de partículas metálicas. Bem que eles tentaram esconder o problema para vender mais, mas pagaram caro por isso e também acabaram manchando a imagem da indústria do amendoim no país.

3)     Álcool indiano contaminado: Que as bebidas alcóolicas adulteradas e ilegais vêm matando muita gente por décadas, todo mundo já sabe. Mas um incidente ocorrido em 1981 no estado de Karnataka, na Índia, chamou a atenção por ter matado pelo menos 308 pessoas que consumiram bebidas alcoólicas baratas e falsificadas, contaminadas por metanol. Ainda depois desta tragédia, o problema permaneceu na região. Em 2008, bebidas alcoólicas adulteradas mataram mais 180 pessoas. As autoridades rapidamente prenderam 20 distribuidores e suspenderam 25 fiscais de inspeção, porém não conseguiram rastrear a origem do produto mortal. E o pior é que o caso se complicou ainda mais com as investigações policiais, que apontam que pode existir envolvimento de partidos políticos na distribuição destas bebidas durante as campanhas eleitorais estaduais.

2)     Broto de feijão com E. coli: em 2011, a Alemanha alertou a população para evitar o consumo de broto de feijão, pepino, tomate e salada após um surto sério de E. coli que atingiu a Europa. Durante algumas semanas após ocorrência do evento, as autoridades alemãs investigaram a morte de 17 pessoas e a doença causada a outras 1600 vítimas. Neste ponto, as exportações e comercializações de vegetais europeus já haviam sido banidas. O saldo final da tragédia foi de 53 mortes, sendo 51 delas na Alemanha. E o total de afetados chegou a 3950 pessoas. Inicialmente, o surto foi relacionado a pepinos contaminados provenientes da Espanha, mas no fim ficou confirmado que a fonte era o broto de feijão proveniente de uma fazenda orgânica no norte da Alemanha. Os espanhóis ficaram bastante revoltados com a situação, principalmente porque o engano levou ao prejuízo milionário dos seus produtores e exportadores.

1)       Melamina no leite chinês: Esta provavelmente foi a pior e mais chocante calamidade envolvendo alimentos já registrada na história. Em 2008, leite em pó para alimentação de bebês e outros produtos derivados de leite foram descobertos com níveis altos e perigosos de melamina, e os resultados foram trágicos. Estima-se que pelo menos 300 mil pessoas tenham sido afetadas. A substância teve um efeito particular sobre os rins das vítimas. Seis bebês morreram com cálculo renal e outros problemas relacionados aos rins. Enquanto isso, outros 860 bebês foram hospitalizados. Várias empresas estavam envolvidas e foram acusadas de contaminar o leite intencionalmente com a melamina. Os processos criminais resultaram em 2 penas de morte, uma sentença de morte suspensa e prisões perpétuas. O escândalo denegriu a imagem da indústria de laticínios chinesa e 11 países deixaram de importar estes produtos da China.

O uso de tecnologias de recall de alimentos no Brasil e no Mundo proporcionam uma maior transparência e blindagem dos alimentos produzidos sob formas rígidas para o controle total da matéria prima até o final da produção. Para isso a equipe da Frutag está sempre a disposição para ajudar no que for necessário, tanto para cumprir as normas de segurança de alimentos, como para estar sempre na frente no que diz respeito a qualidade e recall de alimentos.

Deixe uma resposta